Um ambiente de calor e aconchego. Árvores para subir,
terra para brincar, brinquedos belos e uma alimentação
saudável. Um lugar onde as crianças podem brincar,
brincar e brincar... E tudo isto acompanhado por um adulto
preparado e consciente da responsabilidade de educar.

História: O verdadeiro coelho da Páscoa

Teatro: A lagarta

Músicas

Acontecimentos da Semana Santa

Era uma vez um papai coelho de páscoa e uma mamãe coelho de páscoa que tinham sete filhinhos. Como estava chegando a páscoa, o pai pediu que a mãe arrumasse uma cesta com bastantes ovos coloridos, para que cada um dos coelhinhos os escondesse. Assim, saberiam quem dos filhinhos era o coelho de páscoa de verdade.

O primeiro escondeu o ovo dourado. Saiu correndo o mais rápido que podia e, ao chegar no jardim da escola onde deveria esconder o ovo, viu-se diante de um grande portão. Como vinha correndo com grande velocidade, não conseguiu preparar o pulo e saltou de tamanho mau jeito que, do outro lado, o ovo caiu e se quebrou. Este era o coelho da páscoa de verdade?

O segundo coelho escolheu o ovo vermelho e se pôs a caminho da escola. Quando passava pelo campo, encontrou um coelho amigo que o convidou pra brincar. De início o coelhinho não quis, pois precisava antes esconder o ovo. Mas o outro insistiu tanto que ele concordou e pôs seu ovo num cantinho. Brincou muito de correr, pular e se esconder. Quando o coelho se lembrou do ovo, não o encontrou logo e quando o achou, estava todo quebrado e amassado. Os coelhinhos tinham-no quebrado enquanto brincavam. Este era o coelho de verdade?

O terceiro escolheu o ovo prateado. A caminho da escola, encontrou a raposa. Esta, ao ver o ovo, o pediu ao coelho que não quis lhe dar. “Eu lhe darei uma moeda de ouro em troca” – disse a raposa. O coelho não resistiu e aceitou a troca, indo com a raposa até a sua toca. Lá a raposa pegou o ovo e levou-o para dentro. Depois de muito esperar, o coelho chamou a raposa que saiu de sua casa com cara feia, sem moeda alguma e ainda disse que comeria o coelho se ele não fosse embora. Este era o coelho da páscoa de verdade?

O quarto escolheu o ovo verde. Ao passar pela floresta, um pássaro começou a gritar “A raposa vem vindo”. O coelho quis enconder o ovo para a raposa não o levar. O pássaro ofereceu-se para esconde-lo em seu ninho no alto da árvore. Porém, a raposa não apareceu e o coelho pediu o ovo de volta, mas o pássaro lhe disse que ele viesse busca-lo em seu ninho. Este era o coelho de verdade?

O quinto pegou o ovo listrado. Ao passar por uma ponte sobre um rio, olhou para baixo e viu sua imagem refletida na água. Ficou tão maravilhado com sua beleza e foi se debruçando cada vez mais, até que o ovo caiu e se espatifou nas pedras do rio. Esta era o coelho de verdade?

O sexto pegou o ovo de chocolate e, ao passar pela floresta, encontrou o esquilo, que pediu o ovo. O coelho não quis dar, mas o esquilo pediu se ao menos poderia dar uma lambidinha só para provar. O coelho então permitiu e também deu uma lambidinha só para provar, até que o ovo se acabou. Este era o coelho de páscoa de verdade?

O sétimo escolheu o ovo azul e passou pelo campo, mas não brincou com o coelho amigo, encontrou a raposa e não trocou o ovo, não ligou para o pássaro que dizia que a raposa viria, passou sobre a ponte e não olhou o rio, encontrou o esquilo e não o deixou provar o ovo e, ao chegar diante do portão da escola, olhou-o bem e deu o pulo certo. Na escola, escondeu o ovinho sem ser visto pelas crianças e voltou para casa. Este era o coelho de páscoa de verdade?

A bola com a qual as crianças brincavam no jardim rolou justamente até o arbusto sob o qual o coelho escondera o ovo e foi muito grande a alegria das crianças!

 

 Todos os direitos reservados à Escola Jardim das Amoras